BULLYING

Podemos definir bullying como um conjunto de comportamentos de carácter agressivo, adotados entre pares, de modo intencional e repetido, podendo afetar e causar dano – a nível físico, verbal, social/relacional, psicológico e/ou sexual – às crianças e jovens, envolvidos numa relação de desequilíbrio de poder entre o agressor e a vítima. As vítimas de bullying podem sentir maior tristeza, diminuição de autoestima, desmotivação e baixa de rendimento escolar, perturbações alimentares e de sono, e maior propensão para comportamentos depressivos.

CIBERBULLYING
O ciberbullying consiste em humilhar, excluir ou até agredir alguém, de forma repetitiva e sistemática, através de ações virtuais. São várias as formas de comunicação, com recurso à Internet, que possibilitam este tipo de agressão, podendo recorrer a uma variedade de conteúdos com essa finalidade como, por exemplo, conteúdos de fotografia, de vídeo, de áudio ou de texto. As consequências do ciberbullying nas vítimas são idênticas às do bullying.

ESCOLA SEM BULLYING
ESCOLA SEM VIOLÊNCIA

O bullying, o ciberbullying e outras formas de violência são fenómenos que se registam com uma frequência preocupante nas vidas das crianças e jovens, podendo ser devastadores para as vítimas, e cabe à Escola assumir-se como um espaço privilegiado na prevenção e combate a todas as formas de violência. O Plano “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência” surge como um auxiliar de apoio, com vista à utilização de diferentes abordagens de prevenção e intervenção face a este fenómeno, de modo a incentivar, reconhecer e divulgar práticas de referência. O Plano deve ser implementado partindo de um diagnóstico das necessidades; contribuir para a identificação de sinais de alerta e incluir um plano de ação em torno de estratégias e de atividades que sensibilizem para a diversidade de comportamentos agressivos.

Juntos podemos fazer a Diferença

Alunos

  • Conta a alguém o que se está a passar
  • Não te sintas culpado
  • Evita estar sozinho

Enc. Educação

  • Converse sobre estes temas
  • Esteja atento a sinais de alerta
  • Não desvalorize as queixas do seu educando

Escolas

  • Esteja atento a comportamentos agressivos
  • Contacte os encarregados de educação
  • Dê a conhecer ao órgão de gestão

LÁ NA ESCOLA

A coordenadora TIC, professora Vera Martins, da Escola básica dos 2º/3ºciclos Cónego João Jacinto Gonçalves de Andrade – Campanário, partilhou…

Partilha nas tuas redes

Atentos a esta problemática a Escola Profissional Atlântico, localizada no Funchal, dinamizou durante o mês de outubro, junto de toda…

Partilha nas tuas redes

No Agrupamento de Escolas de Santa Iria de Azoia, no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde e em articulação…

Partilha nas tuas redes

Cartazes de sensibilização de combate à violência, elaborados por alunos e alunas das turmas do 9ºA e 9ºC, da Escola…

Partilha nas tuas redes
Partilha nas tuas redes